Destinos em todos os continentes e diferentes de tudo o que você já conhece

Viajar é maravilhoso, mas infelizmente não dá para conhecer todos os lugares do mundo de uma só vez, não é mesmo amigo-cliente? Por isso, nós da Almeida Viagens Indaiatuba separamos 25 destinos que estão prontos para te receber com uma estrutura ainda melhor. Alguns são muito famosos e outros você provavelmente nunca nem ouviu falar, mas nunca é tarde para conhece-los não é mesmo? Para facilitar a sua escolha, separamos os destinos pelas experiências que eles proporcionam, ok?

PRAIA

1 – Aruba (Antilhas menores)

Aruba se destaca em 2020 pelo compromisso firmado com a energia renovável, que será 100% implementada em todo o território nesse ano, juntamente com a proibição total de plásticos e filtros solares (que estão destruindo os recifes). Além disso, foi especialmente desenvolvida no sul a chamada Sunrise City (a cidade do amanhecer).

MONTANHA

2- Macedônia do Norte

2020 será um bom momento para visitar a Macedônia do Norte, graças a novas conexões para acessar suas principais atrações e também a estreias como a rota High Scardus Trail, que atravessa suas montanhas mais espetaculares. O mais essencial: o bazar otomano em Skopje, a capital e uma excursão ao lago Ohrid, uma das mais antigas e profundas do continente (com mais de 300 metros de profundidade).

INCENTIVO (Viagens de premiação – corporativas)

3 – Uruguai

Oásis de estabilidade e tranquilidade no meio de um ambiente continental mais agitado, o Uruguai é um país democrático e progressista que aceitou os direitos LGTBI, legalizou a maconha e é líder em turismo sustentável e ambientalmente amigável. Portanto, além de caminhar por Montevidéu, visitar Colonia del Sacramento e as ruas coloniais e apreciar o glamour da praia de Punta del Este, você e seus acompanhantes poderão ter experiências autênticas e naturais, como conhecer a vida em uma estância, montar a cavalo e compartilhar mate e conversas perto do fogo, ou navegar pela costa rochosa de Rocha até a solitária Punta del Diablo.

CULTURAL

4 -Marrocos

Nesse ano, Marrakech será nomeada a primeira capital da cultura africana e, por esse motivo, já vale a visita, uma vez que a rica herança será aprimorada mais do que nunca. Além disso, o país melhorou a infraestrutura rodoviária e o primeiro trem de alta velocidade permite viajar de Casablanca para Tanger em apenas duas horas. É um bom momento para entrar em um país cheio de paisagens e contrastes culturais, com museus interessantes (como Saint Laurent ou o primeiro museu no norte da África dedicado às mulheres, ambos em Marrakech), com inúmeras conotações literárias (por exemplo, na cidade de Tanger), uma rica arquitetura e patrimônio cultural e gastronômico, além da possibilidade de fazer uma escapada para dormir uma noite no deserto do Saara.

EVENTOS

5 -Tohoku (Japão)

Já falamos aqui que os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 está entre os principais eventos do ano e com certeza o acontecimento vai colocar no mapa turístico diversas zonas pouco conhecidas do Japão, como Tohoku, a poucas horas em trem-bala da capital, a nordeste, onde se investiu para reabrir rotas de transporte, reconstruir instalações turísticas e traçar novas rotas para excursionistas depois do devastador terremoto de 2011. Uma oportunidade de entrar no Japão mais tradicional, entre bosques de faias, mágicas cascatas, picos vulcânicos e lagos, assim como os clássicos onsens (banhos termais) e pequenas localidades com antigos bairros samurais bem conservados e templos do século XII. E uma surpresa a mais: uma rota por destilarias onde se produz, possivelmente, o melhor saquê do mundo.

Feiras e eventos ao ar livre

6 – Galway (Irlanda)

Essa cidade boêmia da costa oeste da Irlanda é uma das mais animadas do país. Em 2020 será Capital Europeia da Cultura e estará mais cheia de opções do que nunca. Espetáculos de rua, arte ao vivo, música, teatro e dança se juntarão à habitual animação dos bares. Em qualquer lugar de Galway há “jam sessions” improvisadas com violinos, flautas irlandesas e gaitas de fole, e a música enche toda a cidade. Bares e cafés são o complemento perfeito para descobri-la entre um point e outro de Guiness.

Festivais

7 – Holanda

Abril de 2020 será declarado Mês da Liberdade na Holanda, um país que comemora 75 anos de liberdade após o final da Segunda Guerra Mundial. E será feito com estilo: somente no dia 5 de maio, 14 festivais serão realizados em todo o país, perfeitamente alcançáveis graças às suas dimensões (a partir de Amsterdã, você pode chegar a muitas cidades encantadoras em poucas horas). Além disso, a rede de ciclovias soma mais de 35.000 quilômetros e atinge as regiões mais longínquas do norte, por exemplo, as ilhas do mar da Frísia e as grandes capitais culturais do sul, como Haia, Roterdã, Utrech , Groningen, Maastricht ou Eindhoven.

Tecnologia e inovação

8 – Dubai (Emirados Árabes Unidos)

O emirado de Dubai sempre gostou de recordes mundiais (lá estão o edifício mais alto do mundo, o maior shopping center…) e projetos excêntricos que dificilmente veríamos em qualquer outro lugar do planeta, como pistas de esqui no deserto ou uma ilha em forma de palmeira. A Expo 2020, que será realizada em Dubai, será uma ocasião única: durará seis meses (de outubro a abril de 2021) e 180 países participarão dela, apresentando as últimas novidades em sustentabilidade e mobilidade, incluindo carros voadores. Haverá uma impressionante exibição de arquitetura e será inaugurado na ocasião o Museu do Futuro, dedicado às maravilhas que nos esperam na próxima geração. E o país continua surpreendendo em suas realizações artificiais: um novo arquipélago artificial sediará um resort de fantasia inspirado na Europa, no qual não faltará neve o ano todo e quartos submarinos.

ESTUDOS – INTERCÂMBIO

9 – Malta

A República de Malta é um pequeno conjunto de três ilhas no Mar mediterrâneo, onde é possível estudar inglês por valores bem mais em conta que outros países do Velho Mundo. Este pequeno país ainda apresenta como vantagem um custo de vida mais baixo que o do Brasil. Malta ainda não é um destino tão popular de intercâmbio, mas que vem ganhando a atenção dos brasileiros por um motivo simples: sua proximidade com a Europa e preços mais em conta. De fato, Malta pode ser considerado o destino mais barato para fazer intercâmbio na Europa. Além disso, para programas de intercâmbio com duração de 3 meses ou menos não é preciso tirar o visto! Muito mais fácil, não é mesmo? E você amigo-cliente, ainda conta com a experiência de viver em um país com cultura, hábitos e arquitetura europeias, sem ter que escolher os destinos tradicionais desse continente para viver a experiência.

AGROTURISMO

Agricultura familiar

10 – Guizhou (China)

A remota província de Guizhou continua desconhecida para o viajante ocidental, embora historicamente fosse um acesso importante na rota comercial Tea Horse, entre a antiga China e o planalto tibetano. De fato, conserva pequenas aldeias com casas de madeira intactas entre as montanhas brumosas. Há uns anos a região iniciou sua transformação como destino tecnológico – acolheu as sedes da Apple e Huawei, às quais somaram muitas mais –, e atualmente sua capital, Guiyang, tem mais de quatro milhões de habitantes. Mas o entorno rural mantém inalteradas as paisagens tradicionais, agora com maiores comodidades turísticas. O grande salto chegou com a conexão do trem de alta velocidade de Chongqing e Kunming, e novas rodovias e pontes que abrem caminho para as místicas montanhas de Guizhou.

Ecoturismo

11 – Costa Rica

Comum entre os destinos mais sustentáveis do planeta, a Costa Rica também pode se tornar em 2020 um dos primeiros países com pegada de carbono zero (90% de sua energia já vem de fontes renováveis). Um quarto do seu território é protegido para proporcionar uma enorme biodiversidade do país, acessível através de propostas de aventura, como uma viagem de caiaque pelo Parque Nacional Tortuguero; ou uma visita a luxuriante floresta nublada de Monteverde e onde se pode pular em uma das mais longas tirolesa do mundo; localizar baleias jubarte na costa do Pacífico ou navegar na praia de Tamarindo.

Educação ambiental

12 – Vancouver (Canadá)

Vancouver aspira liderar a sustentabilidade urbana no mundo com um plano ambiental (o Greenest City 2020 Action Plan) de grande envergadura. O viajante que for em 2020 ao destino, se beneficiará, por exemplo, de uma extensa rede de ciclovias e de trilhas, de 28 quilômetros de praias. Também das melhorias na rede de transporte público e das 102.000 novas árvores que foram plantadas na última década. Além disso, o mar de arranha-céus sempre deixa ver como pano de fundo uma tentadora vista panorâmica das montanhas ou do oceano, porque a natureza faz parte da cidade. No verão se pode nadar, praticar caiaque ou surfe de remo, andar de bicicleta, caminhar ou patinar no magnífico parque Stanley (400 hectares de área verde e floresta pluvial) ou escalar o monte Grouse.

RURAL

13 – Esuatini (antiga Suazilândia)

Pequeno, agradável e rico em cultura e fauna, o reino de Esuatini (antiga Suazilândia) é, no entanto, um dos países menos visitados (e menos valorizados) da África. 2020 pode ser o ano de sua decolagem, graças às estradas melhoradas, a um novo aeroporto internacional e à tranquilidade – longe das tensões urbanas – que não se vive em outros países vizinhos. Uma viagem a Esuatini (reino dos Swazis) convida você a aprender sobre as tradições africanas e a explorar o mercado de Manzini em busca de tesouros locais de artesanato; atravessar o vale de Malkerns e entrar na reserva protegida de Mkhaya, onde o rinoceronte é o rei. Outros mamíferos grandes, como leões, leopardos ou elefantes, são vistos na maior área protegida do país, o parque nacional de Hlane.

NÁUTICO

14 – Auckland

O apelido de Auckland como City of Sails (Cidade das velas) não surgiu por acaso. Afinal de contas, nos limites desta que é a maior cidade da Nova Zelândia, encontramos nada mais nada menos que 6 marinas. Entre elas a West Haven Marina, considerada a maior marina do hemisfério sul. Desta forma, Auckland conta com a maior relação de embarcação por habitante que qualquer outra cidade no mundo. E graças a esta verdadeira paixão pelos esportes náuticos que os locais desenvolveram, que a Nova Zelândia tem uma forte tradição e grande prestígio no cenário internacional do Iatismo, canoagem e outras modalidades esportivas ligadas à água.

ECOLÓGICO

15 – Butão

 Este pequeno reino do Himalaia celebra algo muito importante em 2020: será o único país do mundo totalmente ecológico, com uma pegada de carbono negativa. O Butão aplica há anos uma política estrita de turismo que pode ser resumida como “alto valor e baixo impacto”, o que implica uma taxa diária obrigatória para seus visitantes como uma medida para evitar a superlotação. Porque falamos de um destino paradisíaco, com grandes montanhas nevadas, mosteiros onde os chifres tibetanos ressoam e onde a vida gira com uma pausa, assim como as rodas de oração de seus templos. Um mundo ideal para caminhantes e viajantes em busca da espiritualidade.

SUSTENTÁVEL

16 – Kochi (Índia)

Durante séculos a cidade indiana atraiu viajantes, exploradores e mercadores de especiarias que deixaram suas marcas nas ruas de ar europeu. Hoje existem cerca de 200 vilas coloniais reformadas que misturam o antigo e o novo com um toque de hotel boutique chic. Mas essa fresca cidade do sul do país asiático, na costa de Kerala, também se tornou um exemplo do uso de energias renováveis, com o primeiro aeroporto que funciona inteiramente com energia solar. Tem cafés boêmios, galerias progressistas e em 2020, além disso, a arte urbana entra em cena na Bienal de Kochi-Muziris.

GEOLÓGICO

17 – Ilha de Lord Howe (Austrália)

Para conhecer esse patrimônio mundial, é preciso se desconectar para desfrutar desta experiência única: percorrer uma pequena e remota ilha australiana (aproximadamente 15 quilômetros quadrados de extensão), que só permite o acesso de 400 visitantes ao mesmo tempo, os quais são estimulados a participarem de uma série de projetos ecológicos. Lord Howe está a 600 quilômetros da costa leste da Austrália e conta com o recife de coral mais meridional do mundo. Na ilha não há cobertura para celulares, e tudo convida a relaxar, desfrutar do mergulho, escalar o monte Gower (com guia) e explorar a lagoa interior em busca de tartarugas.

AVENTURA

18 – La Paz (Bolívia)

Que tal um passeio no teleférico mais longo do mundo e em uma das cidades com a maior altitude do planeta? Em 2020, o famoso teleférico de La Paz terá onze linhas onde até agora havia três. A cidade decidiu mudar e atrair os viajantes apaixonados por gastronomia baseada nas raízes indígenas da Bolívia, e nos novos hotéis de design e “concept stores”. Mas antes de embarcar para La Paz, confira se as questões políticas podem estragar sua viagem de alguma forma.

EXPLORAÇÃO

19 – Inglaterra (Reino Unido)

Sempre na moda e sempre atual, a Inglaterra abre uma nova atração no próximo ano que o convida a descobrir o país, especialmente a costa: o “England Coast Path”, a rota costeira mais longa do mundo. Projeto iniciado em 2014, une diferentes rotas existentes até sinalizar um itinerário costeiro único de 4.800 quilômetros. Por exemplo, será possível fazer uma excursão de Berwick upon Tweed, ao nordeste do país, para Bowness-on-Solway, a noroeste, e incluindo um desvio ao longo do Wales Coast Path, a primeira trilha costeira aberta em 2012.

GASTRONÔMICO

20 – Maine (Estados Unidos)

Este Estado da Nova Inglaterra, na ponta nordeste dos Estados Unidos, celebrará em 2020 o bicentenário, com acontecimentos especiais em cidades e povoados de toda a região. Será uma boa desculpa para percorrer uma zona que nos últimos anos ganhou força como destino culinário – é conhecido por suas cervejarias e padarias artesanais –, atrativos que se somam a sua poderosa natureza: mágicos e extensos bosques, e uma costa maravilhosa, cheia de faróis. Maine é o cenário perfeito para as atividades ao ar livre, seja nos picos escarpados, nas águas bravas dos rios ou nas baías salpicadas de ilhas, que se podem visitar remando com um caiaque ou a bordo de veleiros clássicos.

ROMÂNTICO

21 – Salzburgo (Áustria)

A musical cidade de Salzburgo (Áustria) lidera um ranking de cidades interessantes para descobrir em 2020. O Festival de Salzburgo completa 100 anos e a cidade alpina celebrará em grande estilo. Essa festa anual de ópera, concertos e teatro será mais grandiosa do que nunca, acompanhada de exposições e eventos em todo o centro histórico. Haverá leituras, obras de teatro, concertos matinais… É claro que será preciso reservar com antecedência para aproveitar o melhor verão musical do mundo e, de passagem, revisitar uma das cidades mais bonitas da Europa Central, berço de Mozart (e de A Noviça Rebelde!). E, além disso, um espetáculo de urbanismo barroco.

RELIGIOSO

22 – Jerusalém, Israel

Muçulmanos, judeus e cristãos visitam a “terra santa”. Dividida entre Israel e Palestina, Jerusalém – especialmente a Cidade Velha – é lar de importantes templos de algumas das maiores religiões do mundo. Muçulmanos podem conhecer a mesquita Al-Aqsa, famosa por seu domo dourado; já os judeus visitam o Muro das Lamentações – que também costuma ser visitado por cristãos.  Os turistas ainda podem realizar visitas guiadas pela cidade de acordo com suas religiões ou gerais mesmo, uma ótima pedida principalmente para aqueles que quiserem ter uma perspectiva mais ampla do papel de Jerusalém para a fé mundial. O monte das oliveiras, por exemplo, nos limites da cidade, é onde Maomé supostamente subiu aos céus, de acordo com o Alcorão. Sendo também o mesmo local que Jesus subiu aos céus, após ser crucificado e morto, segundo a Bíblia – o local costuma ser parada obrigatória da maioria das visitas guiadas.

23 – Meca, Arábia Saudita

De acordo com o Alcorão, todo muçulmano deve peregrinar pelo menos uma vez na vida até Meca, cidade onde nasceu e morreu o profeta Maomé. É lá que fica a Caaba, um enorme cubo preto contendo um meteorito celeste, dentro da mesquita sagrada Al-Haram. Sendo um dos principais destinos de turismo religioso, milhares de muçulmanos peregrinam à cidade todos os anos, visitando locais da história de Maomé e caminhando ao redor da Caaba. São tantas pessoas que frequentemente ocorrem tumultos e muitas acabam até pisoteadas.Para um passeio mais calmo, é recomendada a cidade de Medina, onde se exilou Maomé, e onde atualmente há várias mesquitas. Essas duas cidades, entretanto, só podem ser visitadas por muçulmanos por serem consideradas locais sagrados de peregrinação e oração.

24 – Varanasi

Varanasi é a cidade mais sagrada do hinduísmo, religião de cerca de 750 milhões de pessoas. Ela é dedicada ao deus Shiva, que representa a criação e a destruição de tudo. Localizada às margens do rio Ganges, é lá que ocorrem diversos rituais hindus diariamente, com oferendas, rezas, música e velas. No rio também há os ghats, partes destinadas a atividades específicas como lavar roupas, banho de búfalos, banho de pessoas, meditação e cremação de mortos. Turistas podem passar pelos ghats de barco. Para quem for a Varanasi, vale esticar a viagem até Khajuraho, local dos famosos “templos Kama Sutra”: casas religiosas do hinduísmo e jainismo com esculturas eróticas. Mas não pense que estas são fáceis de achar! Elas ficam lado a lado com esculturas de cenas comuns e faz parte da visita tentar encontrá-las.

25 – Kathmandu, Nepal

Kathmandu, a capital do Nepal, é um centro de peregrinação do budismo e do hinduísmo. Acredita-se ser o local onde nasceu Buda, de forma que o local é repleto de templos, estupas e palácios, além de diversos edifícios históricos. Tradicionalmente, mais do que só um local de peregrinação budista ou turismo religioso, Kathmandu é um destino queridinho de alpinistas, montanhistas e praticantes de trekking por ficar entre as montanhas, mas ele promete agradar qualquer um com suas lindas construções.

Confira os 10 países elencados pela Lonely Planet para você conhecer em 2020.

Gostou, amigo-cliente?

Conta para gente qual você quer conhecer nesse ano.

Peça um roteiro personalizado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *